quarta-feira, 3 de outubro de 2018

Peregrinação a pé a Santiago de Compostela 2018



Peregrinação a Santiago de Compostela 
"Move-nos a Missão"
3 a 7 de Outubro 2018

Está no fundamento de uma peregrinação o encontro com Deus, mas também o encontro com os restantes peregrinos.

 Um encontro que não se realiza somente no acto de estarmos juntos, mas no de estarmos atentos ao outro e de fazermos comunidade em Jesus e com a imagem de Jesus que cada um do outro é para nós e na presença que o Amor de Deus tem em nós. 

É uma oportunidade de aprofundarmos a comunhão durante a peregrinação .


Partilhamos a frase para este Domingo 7 Out
"A minha rua é terra de missão. O outro é o rosto visível de Jesus."




Percurso: Caminho Português do Interior e Sanabrês


·  1º dia
       Parte 1 (autocarro) - Porto / Vilarelho da Raia
       Parte 2 – Vilarelho da Raia / Verin - 12 km

·  2º dia - Verin / Trasmiras - 23 km

·  3º dia - Trasmiras / Allariz - 34 km

·  4º dia – Allariz / Ourense - 23 km

·  5º dia 
     Parte 1 (autocarro) - Ourense / A Susana
     Parte 2 – A Susana / Santiago de Compostela - 9 km











sábado, 29 de setembro de 2018

RETIRO MISSIONÁRIO

No dia 29 de setembro (sábado), das 09h30 às 17h00, 

A Alegria do Evangelho é a nossa missão,
Todos discípulos missionários

 Os Bispos de Portugal aprovaram a celebração de um ano Missionário, que iniciou em Outubro de 2018 e terminará em Outubro de 2019, “Mês Missionário Extraordinário”, declarado pelo Papa Francisco para assinalar o centenário de um importantíssimo documento pontifício, Maximum Illud que muito contribuiu para relançar a moderna perspetiva da missão. No número 45 podemos ler: "as mulheres desde a primeira hora do cristianismo, sempre colaboraram de maneira excelente e eficaz na difusão do Evangelho".

A Comunidade das irmãs Missionárias Combonianas, da Paróquia de Santo António das Antas, realizaram um Retiro no dia 29 de Setembro, das 9.30h às 17h, baseando-se na "A Alegria do Evangelho é a nossa missão", especificaram o tema, "Todos discípulos missionários". Como pede o papa Francisco: “Este ano é para ser vivido no encontro com Jesus Cristo na Igreja, na liturgia, no testemunho dos Santos e Mártires da missão, na formação bíblica, catequética, espiritual e teológica, e na caridade missionária. E para aprendermos a “sair”: sair das nossas rotinas, do autoconvencimento de que a prática religiosa ainda é razoável, da ideia de que pouco mais poderemos fazer. Sair em direção a “todos”, com a consciência de: "eu sou missão"!

Com base no texto de João 4, 4-38 - Jesus e a Samaritana - com um ícone Bíblico, fizemos uma viagem simbólica ao poço. O Retiro teve a participação de 12  pessoas que, através deste Evangelho, se deixaram iluminar pela mensagem de Jesus no encontro com a Samaritana.

 Jesus desperta a samaritana a abrir-se a um “manancial” novo, que lhe vem através de Jesus e que “brota no seu interior” de um modo permanente. Ele é o manancial e com sua presença desperta a samaritana, desperta-nos.

 Também foi abordada a proposta/novidade/necessidade do Papa Francisco desejar fazer um Sínodo sobre a Juventude, sendo o primeiro Sínodo, onde o assunto central é a Juventude. O Papa, neste sentido, está a ser profeta  preocupando-se com a situação dos jovens, hoje.

 Dá-me um pouco de sede porque estou morrendo de água!”

Eis o clamor da nossa geração que tendo quase tudo, parece que não consegue descobrir o sentido da própria existência. Morre de sede  junto ao poço de água viva.
 A sede refere-se à busca de sentido presente em todo o ser humano, busca aquilo que traz definitivamente a paz: a “água viva” que é o “dom de Deus”.

Beber e dar de beber, ser discípulos missionários como a Samaritana, é o desafio do ano missionário!


domingo, 23 de setembro de 2018

Abertura do ano pastoral

  "Todos discípulos missionários"


















segunda-feira, 23 de julho de 2018

PADRE JOÃO KASOKO


No dia 5 de Agosto, na Eucaristia das 11h00, faremos o nosso agradeci­mento, a Deus e ao P. João, pelo tempo que passou entre nós e, no final, partilharemos a alegria através de um bolo.      







Também, manifestaremos a nossa gratidão através de uma bolsa para os seus estudos: poderão fazê-lo directa­mente ao Senhor Padre João ou através da secretaria paroquial.

Nova etapa na vida sacerdotal do P. João

Do P. João Kasoko, sa­cer­dote de Ben­guela, Angola, me falara o Sr. D. António Francisco.

Acolher  nas  Antas por três a cinco anos. Vinha em missão. Também para estudar.

E foram três anos de serviço dedicado. Sacerdote que, desde cedo, a todos cativou. Fez-se próximo e dado. E, pelos seus múltiplos dons, soube propor e celebrar Jesus como “caminho, verdade e vida”.
Agora, após férias em Angola, a partir de Setembro, o Sr. P. João apresentar- -se-á em Roma. A pedido da sua diocese de Benguela irá continuar os seus estudos.
A Paróquia das Antas agradece o seu serviço e dedicação. Por isso, iremos marcar a nossa gratidão através de um simples e humilde gesto. Para quem vai continuar os seus estudos noutro país, pensamos que a oferta mais indicada seria uma bolsa, como resultado do contributo de cada um. Tudo, evidentemente, dentro das possibilidades de cada um. 
Assim, quem puder e quiser, poderá fazer a sua oferta para a bolsa directamente ao Sr. P. João ou junto da secretaria paroquial.
E no dia 5 de Agosto, na Eucaristia das 11h00, faremos o nosso agradeci­mento, a Deus e ao P. João, pelo tempo que passou entre nós e, no final, partilharemos a alegria através de um bolo.                      

 P. José Baptista





 Com amizade recordaremos o P. João
   
O Padre João Kasoko, no pouco tempo que esteve na nossa Paróquia de Santo António das Antas, cativou o coração de todos.
A sua simpatia, simplicidade e disponibilidade para com todos jamais será esquecida: pelos mais novos e pelos mais velhos; pelos grupos paroquiais que tiveram a graça de alguma vez sentirem a sua presença e o dinamismo pastoral que soube imprimir nos vários sectores da comunidade.
Quem assistia às suas eucaristias ficava feliz e manifestava alegria ao ouvir as suas palavras, que traduziam uma cuidada preparação, sempre de acordo com a liturgia de cada dia, para que o Evangelho, de uma forma simples, acessível e ao mesmo tempo profunda, pudesse entrar no coração de cada um.
Quantos testemunhos nos foram relatados, de gente da sua África e de pessoas da nossa comunidade que dele se abeiravam, fazendo-nos cair na nossa “pequenez” e refletir no verdadeiro sentido da vida.
Será sempre com muita saudade e profunda amizade que o recordaremos.
                                                                                                                                       (um paroquiano)



SENHOR PADRE JOÃO KASOKO

Sacerdote de Benguela, Angola, João Kasoko, chegou à Paróquia de Santo António das Antas, em setembro, de 2015, onde foi acolhido pelo nosso Pároco Sr. Cónego José Baptista, pelo Diácono Jacob e por toda a comunidade desta Paróquia.
De olhar empreendedor que teimava esconder atrás de umas lentes graduadas, encimado de um sorriso irónico, deixava, frequentemente, escapar gargalhadas que contagiavam quem estava por perto. Contudo, como missionário, cedo entendeu o que o papa Francisco referencia: «é o Espírito que impulsiona os cristãos à evangelização que se “estrutura” em três palavras-chave: “levantar-se”, “aproximar-se” e “partir da situação”».
Na realidade, quando temos uma missão para cumprir, devemos aceitá-la, pois faz parte dos desígnios de Deus. E assim aconteceu com Sr. Pe João Kasoko: cumpriu a sua Missão na Paróquia de Santo António das Antas, obedecendo às três palavras-chave da evangelização: “levantar-se”, “aproximar-se” e “partir da situação”.
Agora, terá uma nova etapa de vida sacerdotal noutras paragens, outros encontros, outros compromissos, sempre em caminho, sempre na estrada, sempre próximo das pessoas, tal como Jesus fazia há cerca de 2018 anos.
Todavia, o Sr Padre João foi, durante estes três anos, nosso vigário de uma forma especial, recordando-nos como é difícil ser um cristão autêntico, nos dias atuais, e exortou-nos a conhecer, a praticar e a preservar os rituais e mandamentos da Igreja, na nossa vida quotidiana.
Encorajou-nos para que fôssemos, sobretudo, missionários na nossa casa e nos locais de trabalho. Participou connosco em várias atividades da nossa Paróquia, sempre disposto a colaborar, sendo motivo de alegria e júbilo para todos nós.
Estamos-lhe profundamente agradecidos.                                                              
       (Uma paroquiana)












OS JOVENS, A FÉ E O DISCERNIMENTO VOCACIONAL

(extraido doJornal AntasNoticias jun2018)


Através do Sínodo, os nossos jovens percebem que a Igreja lhes está a dar voz e vez!

O Grupo de Jovens da Paróquia de Santo António das Antas tem vindo a trabalhar no sentido de refletir e dar resposta às várias questões que se têm levantado em torno desta questão.
Para os nossos jovens, tem sido muito importante verem que a Igreja se direciona, cada vez mais, para eles e lhes dá importância e que o Sínodo deseja ouvi-los e dirige-se a eles como sujeitos e protagonistas.

É no sentido do apelo do Papa Francisco: “sair do sofá”, “assumir a vida”, “ir além da cultura do usar e deitar fora”, “falar com coragem”, “ser protagonista”, “sentir-se em casa quando se está na Igreja”, “participar na revolução da ternura”, “assumir o poder como um serviço”, “fazer e não apenas dizer”, “olhar os outros como uma grande família”…, que os jovens foram ousados e, durante este ano, refletiram, estudaram e promoveram várias atividades em grupo e em comunidade que os fizeram crescer e evoluir nesse sentido.

Participaram ativamente em debates e promoveram vários encontros como a “Morte não é o fim”, “Alepo”, “Valor da vida”, “Na estrada da Vida decides Tu”. O Papa Francisco destaca a possibilidade de uma “filosofia da bofetada cultural” que promova a diferença, o encontro/diálogo entre gerações capaz de originar “velhos que sonham e jovens que profetizam” ou, ainda, o assumir da “artesanalidade” (fazer-se com criatividade)…

E com o objetivo de promover estes encontros e diálogos, o grupo de jovens, no passado dia 4 de maio, preparou o debate “ Conflito de Gerações” onde tiveram a oportunidade de diálogo e encontro com outras gerações. Os jovens começam a perceber que Deus está conectado connosco e deseja que nos conectemos com ele.

Cláudia Luciano

segunda-feira, 9 de julho de 2018

46 anos de sacerdócio o nosso Pároco, Cónego José Lopes Baptista




Dia 9 de julho fez 46 anos de sacerdócio o nosso Pároco, Cónego José Lopes Baptista.
Os paroquianos quiseram comemorar esta data com ele, estando presentes na Eucaristia das 19h15.

Que Deus o abençoe, e lhe dê força, saúde e muitas alegrias.

Parabéns e o nosso Obrigado.