domingo, 11 de novembro de 2018

Magusto 2018

🌰🌰 S. Martinho nas Antas 🌰
Hoje, 11 de Novembro, dia da Festa de São Martinho, associada ao magusto, às castanhas, um grupo de paroquianos da Igreja das Antas, num gesto simpático de acolhimento, distribuíram saquinhos, com castanhas, pelos crentes que se dirigiram às missas das capelas de Belém e Igreja das Antas. Assim, este grupo promoveu momentos de encontro onde a comunidade cria laços, a partir de um olhar nos olhos, aproximando-se uns dos outros, numa dimensão de partilha.











domingo, 21 de outubro de 2018

"Missão" nas Antas 2018

Este Domingo foi o Dia Mundial das Missões 

O Sínodo que celebraremos em Roma no próximo mês de outubro, mês missionário, dá-nos oportunidade de entender melhor, à luz da fé, aquilo que o Senhor Jesus vos quer dizer a vós, jovens, e, através de vós, às comunidades cristãs.
A vida é uma missão
Todo o homem e mulher é uma missão, e esta é a razão pela qual se encontra a viver na terra. Ser atraídos e ser enviados são os dois movimentos que o nosso coração, sobretudo quando é jovem em idade, sente como forças interiores do amor que prometem futuro e impelem a nossa existência para a frente. Ninguém, como os jovens, sente quanto irrompe a vida e atrai. Viver com alegria a própria responsabilidade pelo mundo é um grande desafio. Conheço bem as luzes e as sombras de ser jovem e, se penso na minha juventude e na minha família, recordo a intensidade da esperança por um futuro melhor. O facto de nos encontrarmos neste mundo sem ser por nossa decisão faz-nos intuir que há uma iniciativa que nos antecede e faz existir. Cada um de nós é chamado a refletir sobre esta realidade: «Eu sou uma missão nesta terra, e para isso estou neste mundo» (Papa Francisco, Exort. ap. )
 A Irmã Palmira deu o seu testemunho e anunciou que vai fazer missão para outra paróquia.








sábado, 20 de outubro de 2018

Passeio de grupos paroquiais 2018

Foi dia 20 de Outubro 2018



Visita às Paróquias e alguns locais da cidade de Ovar onde está o nosso amigo Padre Vítor Nelson.


Momento de "saída" e de "encontro" 
dos grupos Paroquias de Santo António Das Antas.

Programa 

08.30 h - Reunião dos grupos à porta da igreja e entrada para a(s) camioneta(s)
08.45 h - Saída em direção a Ovar                                                                      
09.30 h - Chegada à Paróquia de São João de Ovar    
09.45 h - Oração comunitária no salão paroquial de S. João de Ovar         
10.15 h - Saída a pé para visitar Fábrica de Pão de Ló                                    
11.00 h - Tempo livre                                                                                                            
11.30 h - Saída em autocarro para Válega para visitar a Igreja Paroquial de Válega             
12.45 h - Voltar de autocarro para Ovar                                                                                         
13.00 h - Almoço no restaurante "O Pote" em Ovar                                                                     
15.30 h - Visita à Igreja Paroquial de Ovar e Capelas dos Passos do Senhor                           
17.00 h - Tempo livre                                                                                                            
18.00 h - Regresso ao Porto                                                                                                
18.45 h - Chegada à paróquia e fim de viagem                                                                                                                                                        


































quarta-feira, 3 de outubro de 2018

Peregrinação a pé a Santiago de Compostela 2018



Peregrinação a Santiago de Compostela 
"Move-nos a Missão"
3 a 7 de Outubro 2018

Está no fundamento de uma peregrinação o encontro com Deus, mas também o encontro com os restantes peregrinos.

 Um encontro que não se realiza somente no acto de estarmos juntos, mas no de estarmos atentos ao outro e de fazermos comunidade em Jesus e com a imagem de Jesus que cada um do outro é para nós e na presença que o Amor de Deus tem em nós. 

É uma oportunidade de aprofundarmos a comunhão durante a peregrinação .

MOVE-NOS A MISSÃO 

Peregrinação a Santiago. Mais uma vez? Não. 

Cada ano é sempre diferente. Pois cada peregrino, embora caminhando em grupo, também é único. Como pessoal é o seu caminho espiritual. 

No livro “Um Caminho para partilhar com Deus”, que dia a dia, acompanhou os peregrinos, alguém escrevia: «Olá Jesus. Sei que estás comigo e Tu sabes o que eu espero de Ti. Desculpa- -me por todas as vezes em que não fiz a Tua vontade, em que não conhecia o Teu verdadeiro amor. Ajuda-me a ser forte para Te conhecer cada vez mais…Obrigado por me trazeres até aqui.» Então, aprende(r) a sair e abre-te das tuas clausuras. 

O caminho nem sempre foi fácil. Por montes e vales, caminhos tortuosos e, ainda, noites nem sempre bem dormidas: seriam estas interpelações existenciais ou vidas ainda não resolvidas? É, assim, o caminho interior. Incentivar a cultura da escuta sabendo que o Amor confia.

 E alguém rezava ao Pai: «Obrigada pelo novo desafio. Obrigada por esta caminhada diferente mas não menos interessante. Obrigada por me fazeres acreditar quando estou mais cética. Dá-me a Graça de Te sentir e de Te escutar em cada momento do meu dia.» Cada dia foi sempre diferente. Em cada manhã, a esperança se renovava. Importa é dar o melhor de mim, e por isso faz-te oferta de ti mesmo ao outro: «Todos os dias nos levantamos mas nem sempre nos sentimos acordados. Obrigada Bom Deus por esta sensação de todos os sentidos acordados. O carinho, o companheirismo, o pão, a compota, o café, o sorriso e até a lágrima, hoje têm mais valor.» E pouco a pouco se atingiu a meta, Santiago de Compostela. 

Agora é tempo para falar a Deus através de S. Tiago apóstolo. Alguém resumia a Deus a sua peregrinação: foi «Tempo de pausa, tempo de quebrar rotinas, tempo de estar disponível para os outros». E mais um outro peregrino rezava: «Deus, o que levo na memória este ano é que, quando as dores nas pernas e nos pés passam, no fim de cada etapa, há uma sensação assustadora: é que eu preciso de muito pouco para ser feliz! Ajuda-me a lembrar disso durante o ano, especialmente nas ocasiões de maior preocupação e aflição.» Então, como rezava outro: «Faz-me aproximar daqueles de quem normalmente estou mais afastada e dá-me a graça de os receber com um coração mais humilde e mais puro». Que ninguém se esqueça: «a minha “rua” é terra de missão, sendo que o outro é o rosto visível de Jesus». 
P. José Baptista


Podendo-se à distância pensar no que faz mover esta gente a dar passo após passo, numa repetição infindável destes gestos que nos vai fazendo mudar de cenário, a ação extravasa em muito para além disso.

E não sendo propriamente iniciados neste tipo de experiência, nós sentimos a caminhada deste ano como única, entre momentos de introspeção individual e em grupo até à plena extroversão do coletivo, ao trabalho em equipa nas lides diárias da alimentação, fazendo lembrar as comunidades primitivas de cristãos.
Seguindo a sugestão do nosso guia espiritual, Padre Baptista, fizemos deste caminho a nossa rua, a nossa casa e reconhecemo-lo como terra de missão.

Assim, movemo-nos a pé desde o limite do Caminho Português Interior, na raia junto a Chaves, até Ourense, em plena Via da Prata, e culminando numa caminhada simbólica a partir dos arrabaldes de Santiago de Compostela até ao coração dessa querida cidade, a Catedral situada na praça do Obradoiro.

Partilhamos a frase para este Domingo 7 Out
"A minha rua é terra de missão. O outro é o rosto visível de Jesus."




Percurso: Caminho Português do Interior e Sanabrês


·  1º dia
       Parte 1 (autocarro) - Porto / Vilarelho da Raia
       Parte 2 – Vilarelho da Raia / Verin - 12 km

·  2º dia - Verin / Trasmiras - 23 km

·  3º dia - Trasmiras / Allariz - 34 km

·  4º dia – Allariz / Ourense - 23 km

·  5º dia 
     Parte 1 (autocarro) - Ourense / A Susana
     Parte 2 – A Susana / Santiago de Compostela - 9 km