sábado, 6 de junho de 2020

Dia de Sto António 2020

Pregador da Palavra, feita comunhão com os pobres (Santo António)
"Quem não pode fazer grandes coisas, faça ao menos o que estiver na medida de suas forças; certamente não ficará sem recompensa", disse um dia Santo António. Na certeza que “quem dá ao pobre empresta ao Senhor” e o Senhor “lhe retribuirá o benefício”, como se em Provérbios 19,17.
Estamos a celebrar a Festa do nosso Padroeiro. Em tempos de pandemia seremos simples nos gestos de aniversário. Quis o Sr. D. Manuel Linda estar connosco. É com alegria que o acolheremos na Eucaristia do dia 13 de Junho pelas 19h00.
Porém, um dos pontos altos deste dia será a recolha do “Pão de Sto. António”, ou como também se diz o “Pão dos Pobres”. Em cada ano pastoral, a recolha dos alimentos acontece sempre, entre nós, em Novembro, num dos domingos da Quaresma e na celebração do nosso Padroeiro. Como vos recordais, foram as crianças e adolescentes da nossa catequese quem introduziu na comunidade o convite à comunhão com os que passam fome.
“Os pobres não podem esperar”, assim dizia D. António Francisco, de feliz memória, no dia da sua apresentação como Bispo do Porto. Vamos então fazer da partilha de bens com os pobres o nosso gesto eucarístico em dia de Festa. Como Jesus, de quem Sto. António foi Pregador da Palavra feita comunhão com os pobres.

P. José Baptista

domingo, 31 de maio de 2020

ORAÇÃO DO TERÇO PELA CIDADE DA VIRGEM



ORAÇÃO DO TERÇO PELA CIDADE DA VIRGEM (31 MAIO)



Neste domingo, 31 de maio, pelas 20h30, tem início na Praça do Marquês de Pombal uma procissão especial em tempo de pandemia.
Numa organização das vigararias da cidade do Porto e na impossibilidade de se realizar a habitual Procissão da Luz no final do mês de maio, o bispo do Porto percorrerá as ruas da cidade da Virgem com a imagem de Nossa Senhora de Fátima.
Haverá seis paragens nas quais D. Manuel Linda rezará um mistério do Terço em cada uma. Na última paragem será o momento três avé marias finais e de uma oração pelos doentes e profissionais de saúde.
A imagem de Nossa Senhora de Fátima irá num andor transportado por um veículo. Na frente a Polícia Municipal. Durante o percurso as pessoas poderão participar com velas nas janelas e varandas das residências. Poderão estar presentes em cada uma das paragens. Em todos estes momentos deverá ser respeitada a distância de segurança.
Primeiro Mistério: Será no cruzamento da Rua Camilo Pessanha com a Rua Cecília Meireles.
Depois prossegue: Rua do Falcão, Rua Emílio Biel, Rua Nossa Senhora do Calvário, Rua de São Roque da Lameira, Alameda de Cartes, Rua Conde Castelo Melhor, Rua Souto de Contumil, Rua do Giestal, Rua Fonte de Contumil, Rua de Contumil, Rua Prof. Bonfim Barreiros, Rua da Ajuda, Rua das Mercês, Rua Costa Cabral, Rua da Igreja da Areosa.
Segundo Mistério: Será no cruzamento da Rua da Igreja da Areosa com a Rua Dr. Eduardo Santos Silva.
Terceiro Mistério: Será na Rua Afonso Lopes Vieira.
Quarto Mistério: Será no cruzamento da Rua S. João de Brito com a Rua Prof. Mota Pinto e Avenida do Bessa.
Quinto Mistério: Será na Esplanada do Castelo da Foz (Forte de S. João).
A sexta e última paragem será no Largo Abel Salazar. Aí decorrerá a parte final da oração do Terço junto ao Hospital de Santo António. D. Manuel Linda, bispo do Porto, rezará as três avé marias finais do Terço e uma oração pelos doentes e profissionais de saúde.

sábado, 30 de maio de 2020

Oração Segura

Partilhamos convosco o cartaz que estará expostos na igreja com indicações do comportamento a adoptar nas Eucaristia, a partir de agora.
Oração Segura!


sábado, 23 de maio de 2020

Banco Alimentar



Banco Alimentar
RECOLHA DE ALIMENTOS
Nos próximos dias 23 (sábado) e 27 (quarta-feira) vamos fazer a recolha de alimentos para o Banco Alimentar. Podem ser deixados à entrada da sede dos escuteiros (ao lado do auditório) no seguinte horário:
- 23 de Maio (sábado) das 9h30 às 12h00 e das 15h00 às 18h30;
- 27 de Maio (quarta-feira) das 21h30 às 23h00.
Desde já, agradecemos toda a vossa colaboração para, assim, podermos ajudar as famílias carenciadas.
Pela Direcção do Agrupamento 391 Antas,
Pedro Bastos

domingo, 10 de maio de 2020

EUCARISTIA DOMINICAL Transmissão em direto

EUCARISTIA DOMINICAL
Link para Transmissão em direto





sexta-feira, 1 de maio de 2020

Caríssimos Amigos,

Caríssimos Amigos,

O Sr. Primeiro Ministro decretou que passaríamos a ter celebrações litúrgicas a partir do dia 30 de maio. Sobre os funerais disse que a família direta, seja qual for o número de pessoas, podem participar na celebração de exéquias.
A Conferência Episcopal Portuguesa até à hora que vos escrevo, ainda não emitiu qualquer comunicado sobre a vida “normal” das celebrações no que concerne, em especial, às eucaristias semanais e dominicais.
Enquanto esperamos, continuarei a celebrar, diariamente e sem assembleia de fiéis, pelas vossas intenções e pelas intenções de toda a Igreja.
Entretanto, para vivermos em unidade e comunhão, no próximo Domingo voltaremos a ter Eucaristia, pelas 11h30.

Podereis aceder à celebração através do nosso site ou do canal Youtube da Paróquia com o seguinte link:
Um abraço amigo
P. José Baptista




Comunicado do Conselho Permanente da Conferência Episcopal Portuguesa (02.05.2020)
1. Face ao controlo progressivo da pandemia provocada pelo coronavírus Covid-19 no nosso País e ao início de medidas de desconfinamento, reiteramos o nosso agradecimento
à população em geral e aos cristãos em particular pela atitude responsável de prevenção ao longo desta situação, seguindo as normas e orientações da Igreja e das autoridades governamentais e de saúde.
Rezamos pelas inúmeras vítimas desta epidemia e seus familiares, estamos solidários com os doentes infetados por este terrível vírus e agradecemos o precioso trabalho dos que
estão na linha da frente como os profissionais de saúde, as forças de segurança e os que trabalham nos lares e outras instituições sociais.
Manifestamos o nosso regozijo pela criatividade das comunidades cristãs na intensificação das formas de praticar a fé entre os jovens e nas famílias e pela ação sociocaritativa das instituições da Igreja para com os mais carentes e desempregados.
Comungamos do sofrimento de tantos cristãos privados da participação efetiva na celebração sacramental da Eucaristia, cume e centro da vida cristã, na esperança de um mais rápido reinício das celebrações comunitárias da Eucaristia, fonte da nossa alegria pascal.
2. O último comunicado do Conselho Permanente da Conferência Episcopal Portuguesa de 21 de abril anunciava “orientações gerais, em diálogo com as autoridades governamentais e de saúde, para quando terminar esta terceira fase do estado de emergência, com a retomada possível e gradual das celebrações comunitárias da Eucaristia e outras manifestações cultuais”.
3. Terminado o estado de emergência e tendo em conta os dados apresentados pelas autoridades de saúde e governamentais, percebemos que em Portugal a situação parece ter evoluído favoravelmente. Esperamos que se mantenha a responsabilidade cívica de todos os cidadãos, em atitude de prudência e de acatamento das decisões das autoridades governamentais e de saúde, para que não aconteça um retrocesso rápido da situação.
4. Através da Resolução do Conselho de Ministros n.º 33-C/2020, que estabelece uma estratégia de levantamento de medidas de confinamento no âmbito do combate à
pandemia da doença COVID-19, o Governo decidiu para 30-31 de maio, no que diz respeito a “cerimónias religiosas”, o reinício das “celebrações comunitárias de acordo com regras a estabelecer entre DGS e confissões religiosas”.
5. Tendo em conta somente estes elementos, a retomada gradual das celebrações comunitárias da Eucaristia, já anunciada pelo Governo, deverá iniciar-se, em princípio, a 30
maio, véspera da Solenidade do Pentecostes. A data depende ainda da avaliação que o Governo se propõe fazer da situação, nesta primeira etapa do desconfinamento. As Dioceses insulares terão em conta as indicações das respetivas autoridades regionais.
6. As celebrações dos sacramentos que implicam contacto físico, como as unções, devem ser adiadas para o próximo ano pastoral ou, nalguns casos particulares como o batismo e a unção dos doentes, podem ser realizadas com as devidas cautelas de saúde e normas de segurança.
7. Para o sacramento da Reconciliação, é preciso seguir as normas de segurança de saúde e garantir o devido distanciamento entre o confessor e o penitente, protegendo sempre o inviolável segredo da confissão.
8. As exéquias cristãs devem ser celebradas no templo (com celebração da Palavra ou da Eucaristia) e/ou no cemitério com a presença dos familiares, tendo em conta as normas de
segurança que impeçam a transmissão do coronavírus.
9. As catequeses e outras ações formativas continuarão a ser realizadas apenas por meios telemáticos até ao final deste ano pastoral.
10. Procissões, festas, concentrações religiosas, acampamentos e outras atividades similares passíveis de forte propagação da epidemia ficarão adiados para o próximo ano pastoral.
11. As igrejas podem estar abertas durante o dia para visitas individuais, desde que se observem os requisitos determinados pelas autoridades de saúde.
12. Proximamente daremos indicações comuns sobre aspetos litúrgicos e medidas sanitárias a ter em conta nas celebrações e nos templos, as quais poderão ser utilizadas pelas Dioceses, em coordenação com as autoridades locais de saúde no que diz respeito aos procedimentos práticos.
13. Neste mês de Maio, imploramos a bênção do Senhor e a intercessão da Virgem Maria, para que sejamos livres deste grande flagelo, próximos daqueles que são mais afetados
pelas dificuldades, orientados pela fé, diligentes na caridade e guiados pela esperança do Senhor ressuscitado que estamos a celebrar neste tempo de Páscoa.
Lisboa, 2 de maio de 2020

sexta-feira, 24 de abril de 2020

"Catequese em Nossa Casa"

A pandemia, que surgiu em plena quaresma, afetou a atividade normal da catequese, mas este setor da Igreja adaptou-se rapidamente às novas circunstâncias e, ainda em março, arrancou com a "Catequese em Nossa Casa", uma iniciativa do Secretariado Nacional da Educação Crista (SNEC) e do setor da Catequese do Patriarcado de Lisboa.

A "Catequese em Nossa Casa" vai funcionar até ao final do ano pastoral, em junho.

"Say Yes" para os adolescentes:

Para os jovens do 7º ao 10º volume as sessões de catequese serão dadas na televisão pública, todas as 4ªs feiras, às 15h, no programa da agência Ecclesia na RTP2, dando continuidade ao projeto "Say Yes”, que está a preparar cerca de 50 mil adolescentes de todo o país para as Jornadas Mundiais da Juventude (JMJ) de 2023.


terça-feira, 21 de abril de 2020

Agradecimento aos Jovens da Paróquia

CONFERÊNCIA VICENTINA DE STO. ANTÓNIO DAS ANTAS

Agradecimento aos Jovens da Paróquia

A Conferência Vicentina de Sto. António das Antas agradece muito reconhecida, a um Grupo de Jovens da Paróquia, coordenado pelos paroquianos Daniel Gomes e Mariana Sousa, todo o trabalho realizado durante a semana passada em favor das famílias mais carenciadas, apoiadas e acompanhadas pela Conferência.

A Equipa de Jovens deslocou-se ao Banco Alimentar, localizado em Perafita, em 3 viaturas próprias, onde procedeu ao levantamento, à carga, ao transporte e à descarga de cerca de 1200 kg de produtos alimentares.
Com estes produtos, mais os alimentos fornecidos pela Comunidade Paroquial (Pão de Santo António), e com mais produtos comprados pela Conferência Vicentina (nomeadamente 240 litros de leite), os Jovens prepararam mais de 50 cabazes que entregaram às famílias.

Sempre com a participação e orientação dos vicentinos, na retaguarda, quer contactando e avisando as famílias das horas do levantamento dos cabazes no Centro Social, quer colaborando na entrega de alguns poucos cabazes no domicílio das famílias mais incapacitadas.

Queremos realçar e agradecer o trabalho extraordinário realizado pelos Jovens envolvidos, durante vários dias, a sua dedicação, o seu empenho, a sua energia e entusiasmo, que tornaram possível a realização desta operação de entrega de cabazes de alimentos. Agradecemos também aos escuteiros pela disponibilização da sede para a preparação de cabazes.

Sem esta preciosa e indispensável colaboração dos Jovens, a Conferência Vicentina não teria tido a possibilidade de realizar esta operação, neste mês de Abril, como costuma fazer todos os meses.

Com efeito, os condicionamentos impostos pelo estado de emergência sanitária em vigor, e o facto de a Conferência ser constituída maioritariamente por pessoas idosas, tornam impossível que, sozinha, consiga realizar este tipo de actividades enquanto durar o período de isolamento social.

21 de Abril de 2020


quarta-feira, 15 de abril de 2020

Eucaristias Dominicais no tempo Pascal - Transmissão em direto

Eucaristias Dominicais no tempo Pascal - Transmissão em direto

Caríssimos,

No seguimento da transmissão em direto da Eucaristia de Domingo de Páscoa, convido toda a comunidade paroquial a continuar a participar nas Eucaristias Dominicais deste tempo Pascal, a partir das suas casas e através do canal Youtube da Paróquia.

A Eucaristia terá início, em cada Domingo, às 11h30 e realiza-se sem assembleia.

Poderão aceder ao canal da Paróquia através do seguinte link:

https://www.youtube.com/channel/UCj7bJfiLdjUvL3eufC30SvA

"RESSUSCITOU! ALELUIA! ALELUIA!"

Um abraço amigo,

P. José Baptista


domingo, 12 de abril de 2020

EUCARISTIA DA RESSURREIÇÃO

EUCARISTIA DA RESSURREIÇÃO.
Link para Transmissão em direto agora


Pagela Pascal

Pagela Pascal


Com os votos de uma Santa Páscoa, com fé e esperança em Jesus Ressuscitado, envio a Pagela Pascal deste ano!

Um abraço fraterno
P. José Baptista

PÁSCOA 2020

P. Cristo ressuscitou! Aleluia!

R. Aleluia! Aleluia!

P. Anunciamos que é verdade:
o Senhor está Vivo.

R. Aleluia! Aleluia!

P. Alegra-te, porque a tua vida
esconde um gérmen
de ressurreição, uma oferta de
vida que aguarda o despertar.

R. Aleluia! Aleluia!

Ressurreição do Senhor transmissão em direto das Antas

EUCARISTIA DA RESSURREIÇÃO. Transmissão em direto dia 12 abr, pelas 11h30

“O Senhor interpela-nos e, no meio da nossa tempestade, convida-nos a despertar e ativar a solidariedade e a esperança, capazes de dar solidez, apoio e significado a estas horas em que tudo parece naufragar.
O Senhor desperta, para acordar e reanimar a nossa fé pascal.
Temos uma âncora: na sua cruz, fomos salvos.
Temos um leme: na sua cruz, fomos resgatados.
Temos uma esperança: na sua cruz, fomos curados e abraçados, para que nada e ninguém nos separe do seu amor redentor.
No meio deste isolamento que nos faz padecer a limitação de afetos e encontros e experimentar a falta de tantas coisas, ouçamos mais uma vez o anúncio que nos salva:
Ele ressuscitou e vive ao nosso lado.”,
in Homilia do Papa Francisco na Adoração do Santíssimo
e Benção Urbi et Orbi, 27-03-2020


Caríssimos,

Envio-vos o anúncio, neste tempo de pandemia, para vos convidar à sintonia da comunidade, cada um na vossa igreja doméstica, no dia da Ressurreição, através do vídeo com o seguinte link:
ANÚNCIO DO PÁROCO

No próximo domingo, dia da Ressurreição do Senhor, 12 de abril, pelas 11h30, terá início a Eucaristia sem assembleia, que será transmitida em direto através do canal youtube da Paróquia.

A ligação será efetuada a partir das 11h00 para poderem testar a receção da transmissão.
Poderão aceder ao canal da Paróquia através do seguinte link:
ACESSO AO CANAL PARA A TRANSMISSÃO EM DIRETO

Um abraço amigo,
P. José Baptista

sábado, 11 de abril de 2020

Sábado Santo

Caros Paroquianos,

Partilhamos a sugestão do Senhor Padre Baptista para a Vigília Pascal de Sábado Santo, a ser vivida em família.

Sábado Santo

VIGÍLIA PASCAL

A vigília pascal é, de longe, a celebração mais rica do ano litúrgico. Rica em símbolos (fogo, luz, perfume, água), rica em textos (que condensam a história da salvação, da Criação até à Ressurreição de Jesus) e, sobretudo, em promessa: a promessa de que a morte e o mal serão vencidos. Nesta noite falamos da história humana e dos seus sonhos e percalços, mas falamos também da história íntima de Deus e do que a Trindade quer fazer em nós: dar-nos Vida.

Uma mesa, uma toalha branca, um arranjo de flores ou ramos verdes a adorná-la e uma cruz também com alguma flor, um recipiente com água. Também a(s) vela(s) baptismal(ais) do(s) membro(s) da casa. Que a sala esteja perfumada e haja um sino ou dois copos e dois talheres.

1. LITURGIA DA LUZ E PROCLAMAÇÃO DA PÁSCOA

À entrada da casa, com iluminação reduzida, a mãe (ou outra pessoa) segura na mão uma vela acesa que lembre o círio pascal. Pode ser a própria vela do Batismo (se a houver).

Convite à oração
O pai ou a mãe (ou outro membro da família): Cristo, nosso Cordeiro pascal, foi imolado! Celebremos a festa da Páscoa do Senhor.

Um outro membro (a mãe ou o pai, avô ou avó) pode pedir a bênção da casa: Abençoa, Senhor, a nossa casa, para que seja um lugar de amor e de acolhimento. Olha para a nossa família para que nela reine a paz. Vela por cada um de nós para que caminhemos sempre na verdade e na caridade. Aceita o nosso trabalho para que nos obtenha o pão de cada dia e seja um serviço aos irmãos. Abençoa-nos a todos para que cheguemos ao teu Reino. Ámen.

RITO DA LUZ
Um membro da família coloca a vela acesa no centro da mesa.

Alguém diz: Brilhe sempre em nós a luz de Cristo.
Todos: Graças a Deus. Aleluia. Aleluia.

Acendem-se todas as luzes e toque-se a campainha (se não houver batem-se nos copos como se fossem sinos)

2. LITURGIA DA PALAVRA

Do Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus (Mt 28,1-10)

Leitor: Depois do sábado, ao raiar do primeiro dia da semana, Maria Madalena e a outra Maria foram visitar o sepulcro. De repente, houve um grande terramoto: o Anjo do Senhor desceu do Céu e, aproximando-se, removeu a pedra do sepulcro e sentou-se sobre ela. O seu aspeto era como um relâmpago, e a sua túnica branca como a neve. Os guardas começaram a tremer de medo e ficaram como mortos. O Anjo tomou a palavra e disse às mulheres: «Não tenhais medo; sei que procurais Jesus, o Crucificado. Não está aqui: ressuscitou, como tinha dito. Vinde ver o lugar onde jazia. E ide depressa dizer aos discípulos: ‘Ele ressuscitou dos mortos e vai adiante de vós para a Galileia. Lá O vereis’. Era o que tinha para vos dizer». As mulheres afastaram-se rapidamente do sepulcro, cheias de temor e grande alegria, e correram a levar a notícia aos discípulos. Jesus saiu ao seu encontro e saudou-as. Elas aproximaram-se, abraçaram-Lhe os pés e prostraram-se diante d’Ele. Disse-lhes então Jesus: «Não temais. Ide avisar os meus irmãos que partam para a Galileia. Lá Me verão».

Breve pausa de silêncio. Pode fazer-se uma breve partilha

3. LITURGIA BATISMAL

TODOS À VOLTA DA ÁGUA

CREDO BATISMAL (SÍMBOLO DOS APÓSTOLOS)

Creio em Deus, Pai todo-poderoso,
Criador do céu e da terra;
e em Jesus Cristo, seu único Filho, Nosso Senhor,
que foi concebido pelo poder do Espírito Santo;
nasceu da Virgem Maria; padeceu sob Pôncio Pilatos,
foi crucificado, morto e sepultado; desceu à mansão dos mortos;
ressuscitou ao terceiro dia; subiu aos Céus;
está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso,
de onde há de vir a julgar os vivos e os mortos.
Creio no Espírito Santo; na santa Igreja Católica;
na comunhão dos Santos; na remissão dos pecados;
na ressurreição da carne; na vida eterna. Ámen.

Agora deixemo-nos tocar PELA ÁGUA: a família pode fazer um sinal da cruz na testa uns dos outros ou cada um a si mesmo, usando a água. Depois podem aspergir com a água outros lugares da casa.

4. REFEIÇÃO
Oração do Pai Nosso
Segue-se a refeição ou a partilha de algum doce em sinal da Alegria Pascal.

sexta-feira, 10 de abril de 2020

Sexta-feira santa

Caros Paroquianos,
Seguem as sugestões do Senhor Padre Baptista para a celebração, em casa e em família, da sexta-feira santa.

Logo que seja possível, enviaremos a sugestão para o sábado santo.
Relembramos que será transmitida da nossa Igreja a missa do Dia de Páscoa
link:ACESSO AO CANAL PARA A TRANSMISSÃO EM DIRETO https://www.youtube.com/channel/UCj7bJfiLdjUvL3eufC30SvA



SEXTA-FEIRA SANTA

O que celebramos neste dia?
Na sexta-feira santa acompanhamos Jesus até à Cruz. A leitura do evangelho segundo São João convida-nos a olhar este quadro para lá da violência e da dor. O que fascinou o evangelista foi o modo como Jesus encarou e viveu esses acontecimentos. A Cruz é um lugar de revelação onde Jesus-Deus mostra até que ponto ama a humanidade e quer estar unido a ela.

ANTES DE CELEBRAR, PREPARAR O ESPAÇO
Despir o altar e cobrir a cruz com um pano.
DURANTE A CELEBRAÇÃO DESCOBRIR A CRUZ
Paixão segundo S. João
N: Depois que crucificaram Jesus, os soldados repartiram a sua roupa em quatro partes, uma parte para cada soldado. Quanto à túnica, esta era tecida sem costura, em peça única de alto a baixo. Disseram então entre si:
R: Não vamos dividir a túnica. Tiremos a sorte para ver de quem será.
N: Assim se cumpria a escritura que diz: "Repartiram entre si as minhas vestes e lançaram sorte sobre a minha túnica". Assim procederam os soldados. Perto da cruz de Jesus, estavam de pé a sua mãe, a irmã da sua mãe, Maria de Cléofas, e Maria Madalena. Jesus, ao ver sua mãe e, ao lado dela, o discípulo que ele amava, disse à mãe:
P: Mulher, este é o teu filho.
N: Depois disse ao discípulo:
P: Esta é a tua mãe.
N: Dessa hora em diante, o discípulo a acolheu consigo. Depois disso, Jesus, sabendo que tudo estava consumado, e para que a escritura se cumprisse até o fim, disse:
P: Tenho sede.
N: Havia ali uma jarra cheia de vinagre. Amarraram numa vara uma esponja embebida de vinagre e levaram-na à boca de Jesus. Ele tomou o vinagre e disse:
P: Tudo está consumado.
N: E, inclinando a cabeça, entregou o espírito.
Todos se ajoelham e ficam em silêncio
N: Era o dia da preparação para a Páscoa. Os judeus queriam evitar que os corpos ficassem na cruz durante o sábado, porque aquele sábado era dia de festa solene. Então pediram a Pilatos que mandasse quebrar as pernas aos crucificados e os tirasse da cruz. Os soldados foram e quebraram as pernas de um e depois do outro que foram crucificados com Jesus. Ao se aproximarem de Jesus, e vendo que já estava morto, não lhe quebraram as pernas; mas um soldado abriu-lhe o lado com uma lança, e logo saiu sangue e água. Aquele que viu, dá testemunho e seu testemunho é verdadeiro; e ele sabe que fala a verdade, para que vós também acrediteis. Isso aconteceu para que se cumprisse a escritura, que diz: "Não quebrarão nenhum dos seus ossos". E outra escritura ainda diz: "Olharão para aquele que transpassaram". Depois disso, José de Arimateia, que era discípulo de Jesus - mas às escondidas, por medo dos judeus - pediu a Pilatos para tirar o corpo de Jesus. Pilatos consentiu. Então José veio tirar o corpo de Jesus. Chegou também Nicodemos, o mesmo que antes tinha ido de noite encontrar-se com Jesus. Levou uns trinta quilos de perfume feito de mirra e aloés. Então tomaram o corpo de Jesus e envolveram-no, com os aromas, em faixas de linho, como os judeus costumam sepultar. No lugar onde Jesus, foi crucificado, havia um jardim e, no jardim, um túmulo novo, onde ainda ninguém tinha sido sepultado. Por causa da preparação da páscoa, e como o túmulo estava perto, foi ali que colocaram Jesus.

PARTILHA DA PALAVRA (texto do Cardeal D. José Tolentino Mendonça)
Olhemos, de novo, para as duas últimas palavras de Jesus, na narração do Evangelho de João que hoje lemos. A primeira: “Tenho sede”. A segunda: “Tudo está consumado”. De um certo ponto de vista, parecem afirmações que se anulam. Porque “Tenho sede” quer dizer que se está incompleto, que falta alguma coisa, que nos debatemos ainda com o desejo ardente de vida. “Tudo está consumado” quer dizer que se chegou à plenitude, que o destino se consumou. A nossa existência inscreve-se como um hífen, como um traço de união entre estas duas frases de Jesus. Jesus é o Mestre que nos ensina a realizar aquilo que somos, a realizar a nossa humanidade, como um projeto que se cumpre e não como uma promessa que fica por realizar.
Um pouco de silêncio a que se pode seguir….

UMA ORAÇÃO MAIS UNIVERSAL
Em família, escrever intenções pelos problemas do mundo e colocar as intenções sob a cruz que pode terminar com esta prece universal:
"Deus Todo-Poderoso sempre vivo,
apoio da nossa fraqueza humana,
olhai com compaixão sobre a condição triste dos seus filhos
que sofrem por causa desta pandemia;
aliviai a dor dos doentes,
dai força a quem cuida deles,
sede bem-vindo na Tua paz aqueles que morreram
e, ao longo deste tempo de tribulação,
concedei para que todos possamos encontrar conforto
no vosso amor misericordioso.
Através de Cristo, nosso Senhor. Ámen."

BREVE ADORAÇÃO À CRUZ
Um gesto de adoração feito ou com uma inclinação à Cruz ou uma genuflexão ou um leve toque.
Terminar com a oração do PAI NOSSO

quinta-feira, 9 de abril de 2020

Quinta-feira Santa

Caros Paroquianos,
Seguem as sugestões do Senhor Padre Baptista para a celebração, em casa e em família, da quinta-feira santa .
Logo que seja possível, enviaremos a sugestão para o sábado santo.
Relembramos que será transmitida da nossa Igreja a missa do Dia de Páscoa
link:ACESSO AO CANAL PARA A TRANSMISSÃO EM DIRETO https://www.youtube.com/channel/UCj7bJfiLdjUvL3eufC30SvA

Quinta-feira Santa

PREPARAR O ESPAÇO
A família (também quem vive só) reúne-se à volta da mesa, à hora do jantar. No centro da mesa poder-se-á colocar uma toalha branca, uma cruz, uma vela, flores, um único grande pão e uma bacia com água e uma toalha.

1. BENZER-SE, A QUE SE SEGUE A SAUDAÇÃO NA PAZ.
Pensar numa intenção
Antes da celebração começar, cada pessoa pode tirar algum tempo para pensar e anotar, num pedaço de papel, uma intenção particular.

2. LEITURA DO EVANGELHO
Leitor 1: “Antes da festa da Páscoa, sabendo Jesus que chegara a sua hora de passar deste mundo para o Pai, Ele, que amara os seus que estavam no mundo, amou-os até ao fim.
No decorrer da ceia, Jesus, levantou-Se da mesa, tirou o manto e tomou uma toalha, que pôs à cintura.
Depois, deitou água numa bacia e começou a lavar os pés aos discípulos e a enxugá-los com a toalha que pusera à cintura”.
PARTILHA DA PALAVRA (texto do Cardeal D. José Tolentino Mendonça)

“Compreendeis o que vos fiz? Fazei o mesmo uns aos outros.” No Evangelho de S. João, não temos a narrativa da Ceia. O olhar do evangelista fixa-se antes sobre o gesto do Lava-pés. Jesus tira o manto, coloca-se na posição mais servil e começa assim a lavar os pés aos Seus discípulos. E aquele diálogo com Pedro é muito verdadeiro. Porque Pedro diz: “Senhor, jamais me hás de lavar os pés.” E, de facto, não faz sentido, Jesus não é razoável. Mas com este gesto irrazoável, Jesus ensina-nos uma coisa: que aquilo que resgata a nossa vida, aquilo que nos salva não são as coisas razoáveis que fazemos; só o excesso de amor pode ampliar a vida. A paixão de Jesus escancara aos nossos olhos o excesso de amor que Ele oferece a cada pessoa.
Se as circunstâncias o permitirem, pode-se aqui fazer o lava-pés um ao outro, ou só a um, ou então fazer o lava mãos ou só tocar com uma mão no chão e em seguida benzemo-nos.
Qualquer destes gestos é um sinal de humildade e de reconhecimento do outro. Para tocar no chão, precisamos de nos baixar; ao fazer o sinal da cruz procuramos dar espaço ao Outro.
Leitor 2 “Depois de lhes lavar os pés, Jesus tomou o manto e pôs-Se de novo à mesa. Então disse-lhes: «Compreendeis o que vos fiz? Vós chamais-Me Mestre e Senhor, e dizeis bem, porque o sou. Se Eu, que sou Mestre e Senhor, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns aos outros. Dei-vos o exemplo, para que, assim como Eu fiz, vós façais também».

3. BENÇÃO DA REFEIÇÃO COM A RECITAÇÃO DO PAI NOSSO
Então um membro da família poderia partir o pão e distribuir um pedaço a todos, sem dizer nada, mas dando espessura simbólica ao gesto. A partir daqui a ceia prosseguiria na forma habitual, e se possível, com mais intensa convivialidade.

sábado, 14 de março de 2020

Medidas de contenção e prevenção do contágio por COVID-19

COMUNICADO
Medidas de contenção e prevenção do contágio
por COVID-19

Tendo em conta as recomendações da Direção-Geral da Saúde (DGS), a recente Declaração de Pandemia, por parte da Organização Mundial de Saúde (OMS) e em consonância com as recomendações das Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) e da Diocese do Porto, ouvida a Comissão Permanente do Conselho Paroquial de Pastoral da Igreja de Santo António das Antas, adotámos as seguintes medidas de contenção:

1. SUSPENDER todas as EUCARISTIAS – A começar neste fim-de-semana de 14 e 15 de março e por tempo indeterminado. Aconselhamos todos os paroquianos a assistirem à transmissão da Santa Missa Dominical (na RTP 1 às 10h30 ou na TVI às 11h00), com todo o respeito e atenção, manifestando e expressando assim plena comunhão com a Igreja que celebra o Memorial do Domingo neste Dia do Senhor.

2. EUCARISTIAS DIÁRIAS – O Pároco celebrará em cada dia a Eucaristia sem a presença da assembleia. Nessa celebração assumirá, não só as intenções já marcadas, como as que venham a ser marcadas.

3. SECRETARIA PAROQUIAL – Estará aberta de segunda a sábado (exceto em dias feriados) e será atendida uma pessoa de cada vez no horário das 10h30 às 12h00 e das 16h30 às 18h00.

4. HORÁRIO DE ABERTURA DA IGREJA – De segunda a sábado, para oração pessoal, a Igreja estará aberta das 10h00 às 12h00 e das 16h00 às 18h00. Procurem guardar entre si uma distância de, pelo menos, 1 metro nos bancos da Igreja.

5. CELEBRAÇÕES EXEQUIAIS (funerais) – Se possível, estas celebrações deverão contar apenas com a participação dos familiares mais próximos. Em qualquer circunstância, alerta-se aos participantes que devem seguir as recomendações da Direção-Geral de Saúde. O Pároco assumirá, numa celebração sem a participação da assembleia, as intenções de 7.º e 30º. dia.

6. CELEBRAÇÕES PENITENCIAIS (Confissões) – Todas as datas previstas para as Confissões quaresmais, nas Paróquias da Vigararia do Porto Nascente, estão canceladas. Serão propostas novas datas a anunciar após a Páscoa. Porém, tomadas as devidas precauções, jamais se negará a Confissão a quem a pedir.

7. CATEQUESE (Infância e Adolescência) – Relativamente à catequese, de todos os grupos e idades, comunicamos que estão suspensas todas as atividades até aviso em contrário.

8. GRUPOS PAROQUIAIS – Os grupos paroquiais devem evitar as reuniões presenciais, recorrendo ao contacto por meios eletrónicos.

9. VISITAS aos DOENTES e IDOSOS – Estão suspensas as visitas aos Lares e Hospitais, quer por parte do Pároco, quer por parte dos Ministros Extraordinários da Comunhão, exceto em situações extraordinárias.

10. SEMANA SANTA – O programa para o Tríduo Pascal e Domingo de Páscoa será divulgado oportunamente. Estão suspensas, este ano, a VIA SACRA (sexta-feira santa) e a VISITA PASCAL.

Estas medidas não cancelam a Quaresma. Pelo contrário, impelem-nos a “vivê-la de forma mais radical, cultivando a virtude da humildade, renovando a prática da fraternidade solidária, valorizando os laços afetivos familiares, fazendo da nossa casa uma Igreja doméstica, optando por um estilo de vida mais sóbrio e centrado no essencial”. Temos uma oportunidade única para voltar à leitura pessoal e à meditação da Palavra de Deus e a outras práticas de oração em família. Também aqui, todos renasce(re)mos, na Páscoa que se deseja nos traga a graça de um tempo novo

Pe. José Lopes Baptista, Pároco
13 de março de 2020

AJUDA EM TEMPO DE CONTENÇÃO E PREVENÇÃO

AJUDA EM TEMPO DE CONTENÇÃO E PREVENÇÃO

A fim de se poder ajudar alguma pessoa com mais idade ou debilitada que precise de comprar bens alimentares ou de farmácia, e não tenha quem o faça por ela, perguntamos se há quem se queira voluntariar para esse efeito, evitando assim que essa pessoa, mais vulnerável, saia de casa nesta altura. Quem quiser se voluntariar, por favor, contacte a secretaria através do telefone 225021006 ou o email: geral@paroquia-antas.pt


sexta-feira, 13 de março de 2020

Oração de Taizé 13 Março 2020

Oração de Taizé                                    
na Igreja, Sexta, dia 13, às 21h30


terça-feira, 3 de março de 2020

Conferência sobre “A água que une”

Terça dia 03 de março (21h30) no Auditório Paroquial
PARTILHA QUARESMAL

Na sua mensagem para a Quaresma escreve o Papa: “Colocar o Mistério pascal no centro da vida significa sentir compaixão pelas chagas de Cristo crucificado presentes nas inúmeras vítimas inocentes das guerras, das prepotências contra a vida desde a do nascituro até à do idoso, das variadas formas de violência, dos desastres ambientais, da iníqua distribuição dos bens da terra, do tráfico de seres humanos em todas as suas formas e da sede desenfreada de lucro, que é uma forma de idolatria”.
Como sabemos “dar esmola”, como ensina Jesus, é muito mais do que dar o que sobra. Contemplemos a viúva pobre, que deu tudo, que deu o que lhe fazia falta. Sabemos também que Jesus se esconde dentro “dos irmãos mais pequeninos” e que, servindo-os, é a Ele que servimos. Como diz o Papa “a partilha, na caridade, torna o homem mais humano”. O Senhor Bispo do Porto comunicou que, este ano, a partilha quaresmal se destinará à adaptação de espaços e instalação de «camas de emergência» para os sem-abrigo. No Plano Pastoral da nossa Paróquia, propusemo-nos também apoiar um projeto de água para Moçambique, o Projeto “Água viva”: colocar uma cisterna de água num bairro em Pemba. P. 
José Baptista






CONFERÊNCIA “A água que une”

O tema da água uniu um número simpático de paroquianos, no serão de 3 de março, para escutar, numa 1ª parte, o Prof. Poças Martins que nos trouxe experiências da sua vida profissional bem como curiosidades de outras geografias e sobre o futuro, tudo em torno do tema da água. Foi em tom de otimismo e esperança que o orador informou que, apesar de um mundo de acentuados contrastes económicos, o problema da escassez de água tem soluções técnicas, de que é exemplo a dessalinização, e económicas, com o decréscimo acentuado do custo da energia solar, necessária para a transformação da água salgada em água potável. Assim haja vontade.

Na 2ª parte desta conferência, escutamos o relato da realidade de Pemba, em Moçambique, para acesso à água, pela voz dos Padres Missionários da Boa Nova, população a quem o Projeto “Água Viva” pretende ajudar. Muitas vezes, e dependendo da perduração da estiagem, os missionários têm que percorrer muitos quilómetros para coletar água das chuvas em bidões, bem como lenha para cozinhar, e fazer chegar estes recursos à escola para a nutrição das crianças. O Projeto centra-se na instalação de uma cisterna de água numa escola de Pemba, tendo-se decidido com base no Plano Pastoral da nossa Paróquia que é objetivo da nossa comunidade apoiar este Projeto.



PROJETO “ÁGUA VIVA”

Na noite de 3 de março, pela voz dos Padres Missionários da Boa Nova, escutámos um relato sobre um dos bairros de Pemba, em Moçambique, nas suas dificuldades no acesso à água. Muitas vezes, e dependendo da perduração da estiagem, os missionários têm de percorrer muitos quilómetros para coletar água das chuvas em bidões, bem como lenha para cozinhar, e fazer chegar estes recursos à população e à escola para a nutrição das crianças.~

Com base no Plano Pastoral da nossa Paróquia iremos contribuir na instalação de uma cisterna de água. O orçamento será à volta de 10 mil euros.

Poderão participar: ou através da secretaria Paroquial ou pelo envelope próprio que se encontra no placard da Igreja colocando-o no ofertório da Eucaristia ou através da conta bancária: 073.10.007507-3 CONTA ASSOC.COLET.
Nome Cliente: FABRICA IGREJA SANTO ANTONIO ANTAS
IBAN: PT50.0036.0073.99100075073.16
BIC/SWIFT: MPIOPTPL